fbpx

Blog

Depois de uma merecida pausa eis que chega o regresso ao trabalho. As férias foram mais do que merecidas e deram para recuperar de todos os desafios que enfrentaste até agora. Ou pelo menos em parte. Para quem já andava esgotado, este foi um balão de oxigénio vital que importa utilizar, agora, com ponderação.

É que este regresso, que para muitos é uma rotina, pode tornar-se, para alguns, num autêntico pesadelo. Na realidade é um dos momentos mais críticos do ano. Porquê? Bem, algo me diz que vais aproveitar toda a energia que agora tens para fazer uma entrada em grande. E esse pode ser o teu maior erro. Um que espero conseguir ajudar-te a evitar.

Um regresso ao trabalho progressivo

Ao regressar o pior que podes fazer é esgotar, nas primeiras semanas, toda a energia acumulada nas férias. Isso simplesmente não faz sentido. E ainda assim é provável que te vejas nesta situação, mesmo que não queiras. Por um lado muita coisa aconteceu na tua ausência e só agora estás a ficar a par. Por outro lado, há prazos a cumprir, objetivos para alcançar e todos os segundos contam. O problema é que as férias podem não ter sido a tua salvação.

De acordo com um inquérito recente, mais de 50% das pessoas referem que as férias não evitam o burnout. Quanto muito podem adiá-lo. Face a esta realidade muitas empresas decidiram dar até uma semana extra para as pessoas se adaptarem ao ritmo de trabalho. Um gesto bonito, mas que ainda assim pode não passar disso mesmo.

É que o burnout não acontece de um dia para o outro. Nem é evitado numa semana. Sejas o(a) CEO da empresa ou, com todo o respeito e consideração, o senhor das limpezas, se queres aumentar e manter a tua performance num nível alto só há uma forma de o fazer: ter sempre em consideração três elementos sobre os quais tens completo controlo, que te vão ajudar neste regresso e ao longo dos próximos meses.

Prioridades, Expectativas e Equilíbrio

A primeira coisa a fazer é definires as tuas prioridades. Aqui tu deves ocupar o primeiro lugar. Só cuidando de ti e fazendo uma boa gestão da tua energia é que poderás estar no teu melhor. Para mim isto é inegociável, o que significa que tudo o resto terá que vir depois. 

Aqui há duas perguntas que te podem ser úteis:

  • Que hábitos das férias queres manter?
  • Quais as rotinas antigas que vais dispensar?

Depois há que avançar para a etapa seguinte e começar a gerir expectativas. Pensa comigo, se acabaste de regressar de uma pausa prolongada é natural que a tua performance ainda não esteja a 100%. Há que dar tempo ao corpo à mente para que se habituem ao novo ritmo. Para isso, a comunicação com os outros é fundamental. E saber quando dizer “não”, também.

Por fim, há que manter a consistência. Se queres recuperar o teu nível de performance sem entrar em burnout tens de ter paciência. O dia só tem 24 horas. Por muito que te esforces haverá sempre um limite para o que podes fazer hoje. Além disso, haverá sempre um amanhã. Lembra-te que o melhor aliado da consistência é o equilíbrio. Sem ele, o resultado pode ser o que menos queres.

“Estás na organização certa?”

O burnout tem sido associado às exigências laborais, ao ritmo de trabalho e aos padrões de descanso disfuncionais. No fundo à cultura das organizações. E sobre essa o teu grau de controle pode ser muito ou quase nenhum. Por isso é que, mesmo que concretizes as estratégias que referi, podes continuar em risco de precisar de férias em pouco tempo.

Com o passar do tempo há um cenário, bem conhecido, que pode regressar. Aquele em que tinhas a motivação em baixo, em que a estagnação estava a tomar conta da tua vida e em que a insatisfação se fazia sentir nas mais pequenas coisas. Num par de semanas tudo parece um problema,  sentes-te num beco sem saída e a saúde ressente-se. 

Se te encontras nesta situação então é possível que o teu dia a dia não faça sentido. E que comeces a perguntar-te, de novo, se estás no trabalho ou na organização certa. Para mim este é um grande sinal de alerta que merece toda a tua atenção. Há coisas que não dependem de ti e a cultura da organização pode ser uma delas (a não ser que faças parte da direção).

Uma coisa eu sei, quanto mais tempo te mantiveres lá mais te aproximas do burnout e menos da carreira que queres e mereces ter. E essa é uma decisão que depende apenas de ti. Por isso se queres ter um regresso em grande assegura-te que regressas a uma boa organização!

Se sentires que falar comigo te pode ajudar, terei todo o gosto em escutar. Entra em contacto comigo por mensagem privada ou email (geral@pedrocerveira.com) e vamos, juntos, aproximar-te do teu melhor!

Política de privacidade

Para efeitos do disposto no Regulamento (UE) 2016/679 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de abril (Regulamento Geral de Proteção de Dados), a Pedro Cerveira – Coaching & Consulting, entidade responsável pela recolha e tratamento dos seus dados pessoais, para as finalidades referidas na presente política de privacidade, informa que:

1) A Pedro Cerveira – Coaching & Consulting, compromete-se a processar os seus dados pessoais em conformidade com a Lei de Proteção de Dados Pessoais de acordo com a lei em vigor, relativo à proteção das pessoas singulares no que diz respeito ao tratamento de dados pessoais e à livre circulação de dados pessoais.

2) A privacidade dos visitantes neste website é muito importante para nós. No nosso website, reconhecemos a importância da privacidade e tudo faremos para a respeitar. Em  seguida apresentamos o tipo de informação pessoal que recebemos e coletamos quando visita este website, assim como a informação que guardamos. Nunca venderemos a sua informação para terceiros, sejam eles particulares ou empresas.

2.1) Tal como outros websites, coletamos e utilizamos informação contida nos registos. A informação contida nos registos inclui, o seu ISP (Internet Service Provider), o seu endereço IP (Internet Protocol), o browser que utilizou ao visitar o nosso website (ex: Firefox), o tempo da sua visita e que páginas visitou dentro do nosso website.

2.2) Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoais quando visita o nosso website. Isto poderá incluir um simples pop-up, ou mesmo uma ligação em vários serviços que providenciamos (ex: fóruns). A Google faz uso do novo DART cookie para servir anúncios baseados nos seus interesses e na sua visita ao nosso blog e a outros endereços na web. Poderá optar por não utilizar o DART cookie visitando a página de anúncios do Google e o “programa de policiamento” da empresa

2.3) Em adição, no nosso site  também utilizamos publicidade de terceiros. Alguns destes anúncios (sponsors), poderão utilizar tecnologias como os cookies e/ou web beacons quando anunciam  no nosso website, o que fará com que esses publicitários (tal como o Google através do Google AdSense) também recebam a sua informação pessoal, como o seu ISP , o endereço IP, o seu browser, e outros. Esta função é geralmente utilizada para “geotargeting” (ex: mostrar publicidade de NOVA YORK apenas aos leitores oriundos de Nova York) ou para apresentar publicidade direcionada a um tipo de utilizador (ex: mostrar publicidade de restaurantes/bares a um utilizador que visita regularmente portais de culinária/bebidas).

3) Você pode desligar os seus cookies nas opções do seu browser, ou fazendo alterações nas ferramentas do seu Antivírus. Informamos ainda, que tal procedimento poderá alterar a forma como interage com o nosso site/blog/plataforma, ou mesmo com outros portais. Tal também poderá afetar ou mesmo não permitir que faça logins em programas, sites ou fóruns.

4)  Pode opor-se ao tratamento de dados a qualquer momento e por qualquer meio, sem prejuízo do cumprimento das obrigações impostas por lei.

5) Os dados pessoais são conservados por períodos de tempo diferentes, consoante a finalidade a que se destinam e tendo em conta critérios legais, de necessidade e minimização do tempo de conservação, sem prejuízo dos períodos legalmente definidos para os diversos fins.

6) Tem o direito de solicitar a retificação dos seus dados pessoais a qualquer momento.

7) Tem o direito de solicitar o apagamento dos seus dados pessoais, sem prejuízo do cumprimento das obrigações legais.

8) Tem o direito de opor-se ao apagamento dos seus dados pessoais e solicitar a limitação do seu tratamento, sem prejuízo do cumprimento das obrigações legais.

9) Tem o direito de se opor à utilização dos seus dados para efeitos de comercialização direta.

10) Os seus dados pessoais são tratados de forma automatizada ou não automatizada.

11) Tem o direito de solicitar que os seus dados pessoais sejam transferidos para outra entidade.

12) Os seus dados pessoais são protegidos , garantindo-se a sua pseudonimização e a manutenção da capacidade de assegurar a confidencialidade, integridade, disponibilidade e resiliência permanentes dos sistemas e dos serviços de tratamento, a capacidade de restabelecer a disponibilidade e o acesso aos dados pessoais de forma atempada no caso de um incidente físico ou técnico e um processo para testar, apreciar e avaliar regularmente a eficácia das medidas técnicas e organizativas para garantir a segurança do tratamento